teste minha imagem
Google+

Dica Nível Básico

Dicas para fotografia de natureza

Rafael Menegucci é um biólogo que dedica a vida a observar, estudar e também fotografar a natureza. Nesse caso, é um biólogo-fotógrafo.

Seu dom de admirar e conhecer a natureza foi aliado a uma Canon, e o resultado são muitas fotos lindas.

Esta é uma entrevista com Rafael para entender seu olhar e suas técnicas de fotografia de natureza, além de pegar algumas dicas para quem também deseja admirar a natureza através das lentes de uma câmera.

-------------

Como se iniciou a sua relação com a Fotografia e a Biologia?

Minha paixão pela Biologia, principalmente por animais, começou muito cedo. Desde pequeno eu sempre soube que seria biólogo. Passava horas a fio na frente da televisão assistindo a documentários de vida selvagem e tentando imaginar como seria estar na presença dos animais que eram retratados naqueles programas. E, por acaso, eu sempre gostei mais daqueles que fugiam do usual: serpentes, aranhas e sapos. Minhas férias escolares quase sempre foram passadas nas praias e cachoeiras da cidade de Ubatuba, um pequeno paraíso para quem sempre gostou de natureza.

A Fotografia chegou um pouco mais tarde na minha vida, mas nunca esteve longe. Uma das pessoas que mais me incentivou, e me incentiva até hoje, é minha mãe, que sempre carregava uma pequena câmera em todas as viagens que fazíamos. Mas minha relação se tornou mais íntima em 2013, quando comecei a acompanhar alguns trabalhos de pesquisa da faculdade e sentia a necessidade de registrar e mostrar para as pessoas todos aqueles animais que eu via e achava sensacionais. Ganhei uma Canon EOS Rebel T3i e, depois disso, não houve mais volta.


Canon EOS Rebel – T3i EF-S 18-55mm f/3.5-5.6 III – 1/160 – f/29 – ISO: 200
Foto: @rafaelmenegucci


Canon EOS 7D Mark II – EF-S 18-55mm f/3.5-5.6 III – 1/800 – f/4 – ISO: 500
Foto: @rafaelmenegucci

Como é o processo de escolha da foto a ser feita?

Na fotografia de vida selvagem não nos damos o luxo de escolher quando e quais animais fotografar. Gosto de pensar que a técnica e o entendimento do equipamento é apenas uma pequena parte de uma boa fotografia, sendo as outras o entendimento dos animais, insistência, paciência e sorte.

Para conseguir um bom registro, é necessário entender como os animais se relacionam com a floresta e entre si, quais os melhores horários (às vezes cedo demais, outras vezes no decorrer da noite e madrugada). Com insistência, entendemos seus hábitos e preferências de atividade, mas nem sempre os animais colaboram. Passo semanas caminhando pelas matas sem fazer uma foto sequer. Com paciência, percebemos que nem sempre será possível fazer uma boa foto, devido às mais adversas condições, como falta de luz no ambiente, chuva, condições de contraluz e até mesmo limitações do equipamento disponível. Vale lembrar que animais selvagens, em sua maioria, são ariscos e vão fugir o mais rápido que puderem durante uma aproximação. Por último, é preciso sorte, talvez um dos fatores mais importantes e divertidos da Fotografia. Podemos simplesmente ter a sorte de um animal aceitar a aproximação, ou de ele parecer desfilar para a câmera.


Canon EOS Rebel T3i – EF 300mm f/4L USM – 1/1250 – f/7.1 – ISO: 1600
Foto: @rafaelmenegucci

Quais são suas preferências estéticas na hora de fotografar animais?

Como comentado anteriormente, sempre preferi os animais que passam longe dos gostos populares e recebem até má fama. As serpentes e os sapos são meus favoritos! Busco sempre mostrar a riqueza dos detalhes, cores, texturas e formas que esses animais apresentam, tentando desmistificá-los perante a opinião popular. Eles são lindos!

O enquadramento é variado. São animais diferentes em todos os aspectos, não sendo justo manter um padrão ou regras de enquadramento. Mas um foco cravado no olho, direcionando seu olhar para algum ponto, é sempre uma boa tentativa. Os olhos falam.


Canon EOS Rebel T3i – EF-S 18-55mm f/3.5-5.6 III – 1/120 – f/22 – ISO: 200
Foto: @rafaelmenegucci

No mundo todo existem grandes nomes de fotógrafos de vida selvagem. Busco me manter atualizado, principalmente através das redes sociais, acompanhando o trabalho e às vezes até tentando reproduzir, dentro do possível, algumas imagens que me chamam a atenção, além de conversar e trocar informações com grandes amigos que têm a mesma paixão.

Como você configura seu equipamento?

Assim como no enquadramento, não existe uma regra. No caso, acredito que o mais importante seja conhecer o equipamento que se tem nas mãos e reconhecer suas limitações em determinados momentos. As fotos em que uso uma configuração sem muitas mudanças de uma situação para a outra são as de close-up. Busco dar um foco com a maior nitidez possível nos olhos e um leve desfoque no restante do corpo do animal. As configurações que uso para isso são as aberturas de f/9.0 a f/11, ISO abaixo de 400, flash e uma velocidade de obturador alta para evitar imagens tremidas.


Canon EOS T3i – EF-S 18-55mm f/3.5-5.6 III – 1/200 – f/11– ISO: 100
Foto: @rafaelmenegucci

Que equipamentos você usa e por quê?

No momento, utilizo duas câmeras, uma Canon EOS Rebel T3i (velha de guerra) e uma recém-adquirida Canon EOS 7D Mark II. Utilizo-as em conjunto com a lente básica do kit, a EF-S 18-55mm f/3.5-5.6 III, e uma objetiva tele EF 300mm f/4L USM.

A EOS T3i foi e continua sendo uma incrível aliada, uma das melhores câmeras de entrada e perfeita para quem está começando. Aguentou muito bem as condições nem sempre favoráveis que a natureza tem.

Recentemente optei pela EOS 7D Mark II justamente por ela não sofrer tanto com as intempéries e, sobretudo, pela velocidade de disparo e precisão de foco, características que ajudam, e muito, a captar momentos únicos com ótima qualidade de imagem.


Canon EOS Rebel T3i – EF-S 18-55mm f/3.5-5.6 III – 1/200 – f/22 – ISO: 200
Foto: @rafaelmenegucci

Que dicas você daria para quem vai começar a fotografar animais?

Uma boa forma de começar a fotografar animais silvestres é visitando parques de reservas naturais, fazendo trilhas, ou até mesmo observando as praças urbanas.

É preciso dominar o equipamento, ter paciência e saber que na maioria das vezes iremos nos frustrar por não conseguir boas fotos, ou até mesmo nenhuma, pois as condições são adversas. Mas no momento em que conseguir, através de uma única imagem que for, capturar e representar toda a beleza do animal, já terá valido a pena.

Deve-se atentar também para o fato de que muitos animais nos oferecem algum tipo de risco, então o respeito ao espaço deles é fundamental. Não corram riscos à toa.


Canon EOS 7D Mark II – EF-S 18-55mm f/3.5-5.6 III – 1/200 – f/11 – ISO: 200
Foto: @rafaelmenegucci

Comentários

Deixe seu comentário