teste minha imagem
Google+

Blog 30.10.2018

Guerrilha Maker: conheça o trabalho de Luquinhaz

Lucas Motta, mais conhecido como Luquinhaz, é daqueles fotógrafos e videomakers que são multitasking, ou seja, conseguem atuar em diversas frentes de sua profissão e são frutos da conhecida “Geração 5D”. Falamos com ele sobre sua profissão e alguns macetes para quem também quer ser um fotógrafo-videomaker multitasking. Olha só.

---------------------------

Como foi seu começo na fotografia e no vídeo?

Comecei na fotografia em 2006, fotografando shows de uma banda de amigos com uma camerazinha point and shoot. Depois de pegar o gosto por fotografar, comprei uma Canon Rebel Xti e fui fotografar eventos como casamentos e aniversários, mas fotografar shows sempre foi minha preferência. O primeiro show que fotografei como profissional foi do Lulu Santos em 2008.

Com a chegada da Canon EOS 5D Mark II e a possibilidade de filmar com estética cinematográfica, muitos fotógrafos começaram a filmar. Acabei seguindo o mesmo caminho e em 2011, com uma EOS 5D Mark II e as lentes EF 24-70mm f/2.8L II USM e EF 70-200mm f/2.8L IS II USM emprestadas, gravei meu primeiro clipe.


@Luquinhaz

Quais são suas principais referências no mundo da fotografia e audiovisual?

Eu busco referências em todo tipo de arte, mas falando especificamente de fotografia, gosto bastante do trabalho do Jeremy Cowart pelos retratos e projetos sociais. Outra referência é o Max Wanger pelo olhar minimalista. Não posso deixar de citar o amigo Cesinha que foi uma baita referência quando estava começando e ainda é até hoje. Ele tem um trabalho incrível com shows e o cotidiano urbano da cidade de São Paulo.


Foto: @Luquinhaz

Falando em audiovisual, sempre busco referências no cinema dos diretores Nolan, Tarantino, J.J. Abrams, Edgar Wright, Wes Anderson, além dos clássicos como Kubrick por exemplo. Pensando em algo mais pro lado do filmmaker de guerrilha que faz tudo ao mesmo tempo, a referência clássica e óbvia é o Casey Neistat. A forma que ele coloca o conteúdo do vídeo acima das questões técnicas, me inspira muito a criar com o equipamento que estiver disponível.

Como você caracterizaria um videomaker e fotógrafo multitasking?

O videomaker de guerrilha trabalha com o que tem na mão, com pouco ou nenhum orçamento, com as condições climáticas disponíveis e sempre buscando o melhor resultado possível. Apesar do tema aparentar ser algo novo, na segunda guerra por exemplo, muitos diretores e fotógrafos já estavam fazendo sua arte com nenhuma condição de trabalho e ainda com risco de vida eminente.


@Luquinhaz em set de gravação

Você tem um perfil chamado “Guerrilha Maker” no Instagram. O que você quer mostrar lá?

O @guerrilhamakers foi inspirado diretamente pelo perfil @shittyrigs que em uma tradução livre seria a nossa boa e velha gambiarra. A ideia é postar as soluções criativas que a gente precisa criar para resolver nossos problemas na hora de gravar ou fotografar. Além de ser engraçado ver que a criatividade das gambiarras não tem limites, podemos nos inspirar e até aprender com algumas soluções das postagens.


Foto: @Luquinhaz

O que você faz em set que é muito característico de um fotógrafo/videomaker multitasking?

A primeira coisa é prever o que pode acontecer de errado e se preparar. É sempre bom levar alguns itens simples que podem salvar a vida na hora do perrengue. Fita crepe e fita gaffer, que é uma fita feita de fibras e apropriada ao audiovisual, bongo tie, que é um elástico super prático e útil para juntar cabos, por exemplo; baterias externas (power banks), garrinhas de plástico ou metal etc. Tem um video no meu canal do youtube só sobre isso.

Uma dica prática que posso dar é sempre observar bem o ambiente e tentar prever o que pode ser usado e o que pode te prejudicar de alguma forma. É bem um lance de sobrevivência na selva, mas no ambiente da gravação. Certa vez estava gravando um clipe em uma casa antiga de meados de 1500 e havia um buraco no teto que fazia um feixe de luz bem no meio da cena. A solução foi pegar um pedaço de pau que estava no jardim, uma sacolinha plástica e preencher o buraco do teto para sumir com a luz indesejada.


Foto: @Luquinhaz

Que tipo de interferência estética você sente que o fato de ser um “Guerrilha Maker” acaba imprimindo em seu trabalho?

Talvez uma característica sempre presente no trabalho do videomaker de guerrilha, inclusive no meu, é trabalhar com a luz natural ou luz do ambiente. A luz é fundamental em qualquer obra audiovisual, mas também tem um custo e a alternativa viável é a luz que já está no ambiente e que pode ser o sol ou uma lâmpada 60w.


Foto: @Luquinhaz

O primeiro clipe que dirigi e citei na primeira pergunta foi com luz natural do dia e era o que tinha para trabalhar. Essa falta de recursos para incrementar a estética do video também acaba virando estética e o objetivo é usá-la da melhor forma para que o trabalho seja o melhor possível.


Direção:
@Luquinhaz

Quais equipamentos você usa? E por que os usa?

Minha primeira câmera de trabalho foi a Canon Rebel Xti, depois a Canon EOS 40D, EOS 5D Mark II e por último a EOS 6D que me acompanha até hoje. As minhas lentes são EF 24-70mm f/2.8L II USM e EF 70-200mm f/2.8L IS II USM.

A EOS 6D tem um corpo bem resistente e com uma pegada ótima. Já viajei para todo tipo de lugar para gravar e fotografar e ela nunca me deixou na mão. As duas lentes cobrem muito bem todo tipo de trabalho que preciso fazer, indo da grande angular 24mm até a tele 200mm com a ótica fantástica da série L. Como fotografo muitos shows, a abertura f/2.8 das lentes é fundamental já que não posso depender da qualidade da iluminação de todos os shows.


Foto: @Luquinhaz

Quais são seus conselhos rápidos para um novo fotógrafo/videomaker Guerrilha Maker ou multitasking?

Estude bem a técnica fotográfica, o equipamento e como tirar o melhor deles. Na hora do perrengue e do imprevisto, não dá para ficar pensando em como configurar a câmera ou onde enquadrar. As vezes aquele take ou aquela foto incrível só surgem para você em uma fração de segundo.

Outro conselho é que o equipamento é importante, mas ele deve servir ao conteúdo. Se puder ter o equipamento topo de linha, ótimo, mas se não puder, use o que tiver na mão. Um bom exemplo é que gravei um making of com qualidade profissional com a nova Rebel SL2 que é uma ótima câmera de entrada.


Foto: @Luquinhaz


Foto: @Luquinhaz


DVD feito com duas câmeras em uma casa/estúdio
Canon EOS 6D + EF 24-70mm f/2.8L USM + EF 70-200mm f/2.8L IS USM
Direção:@Luquinhaz

 
Jovem Nerd na CCXP 2017
Canon EOS 6D + EF 24-70mm f/2.8L USM + EF 70-200mm f/2.8L IS USM
Direção:@Luquinhaz

Publicado por: Luquinhaz Categoria: Inspire-se

Comentários

Deixe seu comentário