teste minha imagem
Google+

Dica Nível Intermediário

Como trabalhar o olhar para boas fotos

A fotógrafa Juh Almeida (@juh_fotografia) tem um olhar fotográfico mito interessante e vem com dicas para você instigar e melhorar o seu. 

-------------------------------------

A fotografia sempre fez parte da minha vida. Sabe quando você leva pessoas em casa e sua mãe conta histórias de como você era na infância? Então, a minha sempre conta como já sabia que eu ia querer ser fotógrafa quando crescesse.

Obviamente, a câmera analógica compacta chamava mais a minha atenção do que os brinquedos. Quando íamos à praia aos fins de semana, era eu que ficava responsável por registrar a família, e certamente essa é a minha memória afetiva favorita. Quando chegou a hora de prestar vestibular, até tentei outros cursos, mas adivinhem? Fotografia! Claro!

Depois fiz mais cursos, participei de workshops, oficinas e palestras, comprei inúmeras revistas e livros, baixei apostilas na internet, assisti aos vídeos no Canon College e consumi e consumo até hoje todo e qualquer material que trate de fotografia.

Aos 18 anos, comecei a levar o assunto a sério. Trabalhei em estúdios de moda, fotografei casamentos, comecei com os ensaios autorais que até hoje acompanham minha carreira, trabalhei como fotojornalista no jornal local e ministrei aulas. Posso dizer que transitei bastante. Hoje sou fotógrafa e filmmaker freelancer – vivo de fotografia, é de onde tiro o meu sustento e, nossa, já faz 10 anos!


Canon EOS 5D - EF 50mm f/1.8 USM - 1/2000 - ISO: 200
FOTO: @juh_fotografia


Canon EOS 70D - EF 50mm f/1.4 USM - 1/3200 - ISO: 100
FOTO: @juh_fotografia


Canon EOS 70D - EF 50mm f/1.4 USM - 1/320 - ISO: 400
FOTO: @juh_fotografia

A fotografia é cotidiana. Fotografar é atribuir importância.

Percebo como as fotografias que faço estão conectadas com a minha vida: é como se eu me encontrasse nelas. Essa ligação faz com que a foto que eu fiz ontem seja bem diferente da que vou fazer amanhã.

Minhas maiores inspirações são as pessoas que cruzam a minha rotina – a senhora na janela, a moça que pede para segurar minha mochila quando estou em pé no ônibus cheio, o senhor que toma café na mesa ao lado da minha na padaria, a criança no colo da mãe que me fita nos olhos e, principalmente, o mar. Muitas das minhas fotografias são preenchidas de mar e movimento; o cotidiano ao meu redor grita o tempo inteiro para ser registrado de alguma forma, e é isso que me inspira. Susan Sontag diz que “fotografar é atribuir importância”. Acho que é isso de que trata o meu trabalho.

Fotografar é como conhecer a si mesmo, é assim que funciona para mim. Sou uma mulher negra e vivo em um país onde existe o famoso mito da democracia racial. O racismo é latente, e muita gente fecha os olhos para isso ou, apesar de reconhecer sua existência, não o considera um problema. Eu acredito poder combatê-lo através da fotografia, reafirmando todos os dias a nossa existência e cuidando para que nossa voz não seja silenciada.


Canon EOS 70D - EF 50mm f/1.4 USM - 1/320 - ISO: 100
FOTO: @juh_fotografia


Canon EOS 70D - EF 50mm f/1.4 USM - 1/800 - ISO: 400
FOTO: @juh_fotografia

Tomo sempre como referência outras mulheres fotógrafas que também sentiam prazer em sair flanando pela cidade a fim de criar experiências: sentar e observar até tirar a câmera da mochila e registrar. Dorothea Lange, Tina Modotti, Diane Arbus, Eve Arnold, Vivian Maier, Annie Leibovitz e Carrie Mae Weems são minhas principais influências.


@juh_fotografia fotografando @loo_ana

Nada passa despercebido, mas nem tudo é foto.

Nada passa despercebido pelos meus olhos, mas isso não quer dizer que eu registre tudo o tempo inteiro. O estado de observância é sempre o que mais me garante um bom registro: vejo a cena, enquadro-a antes na minha cabeça; vejo a disposição dos elementos que podem compor o quadro, olho com calma de onde a luz está vindo e só então eu clico.


Canon EOS 60D - EF-S 18-135mm f/3.5-5.6 IS USM - 1/400 - ISO: 100
FOTO: @juh_fotografia


Canon EOS 60D - EF 50mm f/1.4 USM - 1/5000 - ISO: 100
FOTO: @juh_fotografia


Canon EOS 70D - EF-S 18-55mm f/3.5-5.6 IS USM - 1/250 - ISO: 200
FOTO: @juh_fotografia

O olhar também pode ser técnico.

Faço muitos retratos. Como o objetivo é não distorcer a imagem da pessoa, e isso vale principalmente para fotos mais próximas do rosto, eu gosto de usar a EF 50mm f/1.4 STM – a lente que mais indico quando me perguntam sobre qual comprar para começar a fotografar.

A primeira Canon digital que eu comprei foi a EOS Rebel T3i, mas como estudo Cinema na UFBA , tenho acesso ao LabAv  e também vários amigos e amigas fotógrafas então acabo usando diversos equipamentos, vez ou outra fotografo com as  EOS 60D, EOS 70D e EOS 6D, mas a que carrego comigo até hoje é uma EOS 5D Mark I, minha companheira.


Canon EOS 6D - EF 50mm f/1.4 USM - 1/3200 - ISO: 100
FOTO: @juh_fotografia


Canon EOS 6D - EF 50mm f/1.4 USM - 1/4000 - ISO: 100
FOTO: @juh_fotografia

Não limito o meu processo criativo: pesquiso, estudo, faço campo, busco referências na internet, vejo vídeos, filmes etc. Fotografo o que tenho vontade, o que chama a minha atenção, mas não escondo a minha paixão pela fotografia documental. Eu acredito na fotografia humanista e em como ela atua traduzindo lutas políticas e temas sociais. Nisso tudo, uma das funções principais das minhas lentes é incorporar sentidos.


Canon EOS 70D - EF-S 18-55mm f/3.5-5.6 IS USM - 1/400 - ISO: 200
FOTO: @juh_fotografia


Canon EOS 70D - EF-S 18-55mm f/3.5-5.6 IS USM - 1/250 - ISO: 200
FOTO: @juh_fotografia

A boa foto não é só aquela que capturou um instante, mas que contou uma história, que construiu uma narrativa. Uma foto que é viva, que arde e que inquieta de alguma forma.

Comentários

Deixe seu comentário