teste minha imagem
Google+

Blog 08.01.2018

Retratos que falam: conheça o trabalho de Claudio Lacerda

A fotografia entrou na minha vida em meados de 1997. Eram os tempos de faculdade, mais precisamente a matéria de fotografia do curso de Publicidade e Propaganda. Não me recordo bem o que me chamou a atenção, mas ficava ansioso por aquelas aulas.

Um belo dia, amigos músicos marcaram um show em um famoso bar de Porto Alegre. Então, perguntei à professora se podia levar uma câmera da faculdade e fotografar alguns filmes. A resposta foi positiva, e lá fui eu.

Claro que antes precisei descobrir como fotografar um show com pouca luz e um filme ISO 400. Naquela época, não havia internet. Me dirigi à biblioteca e pesquisei sobre push – uma compensação com velocidade ou exposição para trabalhar com imagens subexpostas.

Pronto! Show fotografado. Retornei ao laboratório e, depois de analisar meus negativos, a professora perguntou se poderia publicar minhas fotos no jornal da faculdade e se eu não gostaria de ser monitor em suas aulas. Foi ali que começou minha história com a fotografia e a paixão por ela.

É sempre bom buscar referências

O tempo passa e, cada vez mais, sinto necessidade de estudar e buscar boas referências. Tenho pesquisado sobre História da Arte, grandes pintores e mestres da fotografia. Otto Stupakoff, Sebastião Salgado e Bob Wolfenson são, para mim, grandes mestres na arte do retrato. Retratos simples, porém cheios de personalidade. Na pintura, o holandês Vermeer me encanta com o seu jogo de luz e sombra, além de retratar com maestria simples momentos cotidianos.


Foto: Claudio Lacerda


Foto: Claudio Lacerda

Um bom retrato

Um bom retrato é aquele em que conseguimos ver a personalidade da pessoa nos detalhes. Conseguir ter êxito em um retrato é algo trabalhoso. É preciso estabelecer uma conexão, uma cumplicidade com o nosso “objeto” – nesse caso –, a pessoa.


Foto: Claudio Lacerda


Foto: Claudio Lacerda

Sebastião Salgado, por exemplo, afirma que, ao chegar em algumas locações, só tira a câmera da mochila na terceira ou quarta visita. Antes, é preciso ganhar a confiança daqueles que em breve serão os seus modelos.

Como fazer um bom retrato

Todo grande retrato começa com um bom bate-papo, sem câmera. Procure saber o que a pessoa gosta, o que a deixa orgulhosa e, principalmente, deixe-a à vontade. Já houve casos de chegar à locação com várias ideias e possibilidades, mas, após cinco minutos de conversa, descobrir que nada funcionaria. O imprevisível anda junto com a boa fotografia. É nesse momento que você coloca todo o seu conhecimento à prova.


Foto: Claudio Lacerda

Gosto de dar liberdade para os meus retratados no momento da foto, por isso normalmente trabalho com uma única luz. Não gosto de limitar a performance ou a minha área de luz.

O baixo ruído das câmeras novas me permite trabalhar com uma velocidade alta e um diafragma que varia de acordo com a lente. Se estou com lentes grande-angulares, geralmente uso aberturas em f/2.8.

Já para as lentes mais fechadas, gosto de usar f/4 ou f/5.6. Gosto muito de brincar com a lente 50 mm com 1.2 de diafragma em fotos de paisagens.


Foto: Claudio Lacerda

Os equipamentos

Trabalho com câmeras Canon há muitos anos. Recordo com carinho da minha EOS 5, câmera que usei muito por 3 longos anos. Atualmente, tenho uma Canon EOS 5DS com a maravilhosa lente EF 24-70mm f/2.8L II USM. Ela tem sharpen e velocidade de foco incríveis.

O meu sonho de consumo é ter no case de câmera a EF 85mm f/1.2L II USM e a EF 70-200mm f/2.8L USM, além de algumas outras lentes criativas, como a TS-E 45mm f/2.8.


Foto: Claudio Lacerda

Após todos esses anos fotografando, só percebo que tenho muito a aprender. O que antes era difícil e fechado para poucos, agora é livre, de fácil acesso. As câmeras evoluem a cada temporada, proporcionando que o fotógrafo se preocupe cada vez menos com a técnica e foque na parte criativa. Vivemos em uma época de democratização do conhecimento.

Estude, faça testes, produza e se aventure.


Foto: Claudio Lacerda


Foto: Claudio Lacerda

Publicado por: Claudio Lacerda Categoria: Inspire-se

Comentários

Deixe seu comentário