teste minha imagem
Google+

Blog 04.04.2017

O mundo do retrato feminino

Meu nome é Cris Santoro, tenho 27 anos, sou gaúcha e completamente apaixonada pelo universo dos retratos femininos, ao qual me dedico profissionalmente há mais de cinco anos.

Aos 15 anos, percebi que a fotografia transformou minha autoestima. Ao fazer autorretratos, passei a olhar com mais carinho para mim. Desde então, toda a minha energia foi voltada para realizar esse sonho de viver de fotografia e nessa missão me encontrei de corpo e alma.

No início desse caminho, passei bons anos pelo Flickr e minhas principais referências sempre foram mulheres que se retratavam. Inês Rehberger, Laura Zalenga, Karrah Kobus são apenas alguns exemplos.

Delas, extraí uma importante lição: se você quer retratar com sensibilidade, faça autorretratos!

Pôr-se sozinha em frente à câmera é uma experiência muito transformadora de autoconhecimento. Editar essas fotos é como "olhar num espelho" diferente de tudo e, em momentos difíceis, essa foi a minha cura.

 Cris Santoro

Tento sempre buscar um olhar sensível sobre as mulheres e as formas de empoderar, fazendo com que elas se enxerguem por uma nova perspectiva, livre de medos e inseguranças.

Também procuro essa identificação. Ponho-me do outro lado, me faço presente para sentir tudo o que elas sentem, assim a empatia toma conta e me conecto com elas e comigo mesma.

 Canon EOS 6D - 1/200 - EF 85mm f/1.8 USM - f/1.8 - ISO: 800

Se quiser entrar no mundo do retrato feminino, seja fotografando debutantes ou um Boudoir, priorize a sua mensagem fotográfica e faça perguntas a si mesmo para ajudar a compor sua identidade de imagem.

“Quem é essa mulher?” “Que aspectos da personalidade dela eu quero expressar?” Ponha-se como observador(a) de uma história e queira saber dos detalhes, converse e se importe com cada palavra dita. Sempre se ponha por inteiro no presente.

 Canon EOS 6D - 1/100 - EF 85mm f/1.8 USM - f/1.8 - ISO: 800

Transformar um ensaio em uma experiência de autoconhecimento pode levar seu trabalho a outro patamar. Você entregará para as clientes algo muito além de fotos incríveis. – você nunca mais sairá da vida delas.

 Canon EOS 6D - 1/4000 - EF 85mm f/1.8 USM - f/1.8 - ISO: 250

Se você já ouviu falar sobre empoderamento feminino, talvez esteja na hora de se questionar sobre qual é o nosso papel na fotografia. Seja como fotógrafa ou fotografada.

Ao meu olhar, o empoderamento não se dá pela exposição exacerbada do corpo feminino, como um objeto, mas sim por nuances sensíveis que existem em nosso universo.

 Canon EOS 6D - 1/250 - EF 85mm f/1.8 USM - f/1.8 - ISO: 500

 

Precisamos fortalecer a essência dessas mulheres, trazer histórias à tona e fazer com que pessoas presas a padrões estéticos se libertem. O mundo é muito cruel com o corpo feminino, por isso percebo que nós podemos ser instrumentos de transformação e de cura através da fotografia!

Algumas dicas sobre como empoderar e trazer força para suas fotos:

Empodere pela postura. Faça com que ela se sinta a mulher mais importante do seu próprio mundo. Valorize queixo, ombros, altivez.   

 Canon EOS 6D - 1/800 - EF 85mm f/1.8 USM - f/1.8 - ISO: 800

Empodere pelo mistério. Não conte tudo o que sabe. Guarde os segredos dela com carinho.

 Canon EOS 6D - 1' - EF 50mm f/1.8 STM- f/1.8 - ISO: 250

Empodere pela fragilidade e também pela força. Coisas que caminham lado a lado. Mostre a ela que tanto a sua luz quanto a sua sombra são lindas, basta que ela aceite tudo com carinho. Transmita isso através da expressão corporal.

 Canon EOS 6D - 1' - EF 85mm f/2.8 USM - f/1.8 - ISO: 320

 Canon EOS 6D - 1/4000 - EF 85mm f/1.8 USM - f/1.8 - ISO: 200

Empodere pelo olhar. Não há nada mais forte do que isso. A mensagem está toda nos olhos, abertos ou fechados, limpe seu retrato para que a expressão seja sentida.

 Canon EOS 6D - 1' - EF 85mm f/1.8 USM - f/1.8 - ISO: 160

Iluminação

Trabalho sempre com luz natural e lentes fixas (EF 35mm f/1.4L II USM, EF 85mm f/1.8 USM e EF 50mm f/1.8 STM).

Outra coisa é que nesses cinco anos dedicados à fotografia aprendi a respeitar os melhores horários para trabalhar, que para mim são o amanhecer, das 06h às 09h, e também entre às 16h e às 19h.

Minha dica é que você não jogue contra o seu time. Se você sente dificuldades em fotografar com o sol forte, não marque o ensaio para às 10h da manhã, nem após o almoço.

Respeite o seu horário ideal de luz, isso é muito importante!

A foto a seguir é um exemplo do meu horário de luz ideal. Já eram quase 19h, final do ensaio, e fomos presenteadas com esse lindo pôr do sol, com uma luz que invade e ilumina de forma muito delicada.

Uma dica bacana para fotografar em contraluz e criar um efeito legal é tapar o sol com a mão na frente da lente e focar no rosto. Depois disso, tire a mão na hora do clique e deixe o sol entrar. Com algumas tentativas, o resultado pode ser incrível.

 Canon EOS 6D - 1/2000 - EF 85mm f/1.8 USM - f/1.8 - ISO: 160

Além da luz ideal e de evidenciar sempre a expressão das minhas clientes, uma das etapas mais apaixonantes para mim é a edição. A brincadeira com as cores pode nos trazer sensações diferentes e nos levar para uma viagem dentro de nós.

Para a edição, uso o Lightroom. Na maior parte do processo, uso também o Photoshop e o Alien Skin Exposure, duas ferramentas primordiais.

Os choques de cores quentes e frias me encantam muito. Aprendi a olhar para essa etapa como a última chance de expressar tudo que sinto. Não deixe que pensamentos externos tenham influência na maneira como você finaliza seu trabalho. Exclua da sua vida a frase “O que os outros vão pensar?”. Faça o que é do seu gosto e mostre para as pessoas. Aos poucos a sua mensagem se tornará relevante para quem vê. Você precisa se observar, criar e mostrar!

 Canon EOS 6D - 1/800 - 35mm - f/1.4 - ISO: 500

Sempre que você visualizar uma ideia de retrato, pense em todos os aspectos para tornar a ideia real: luz, direção e sensação. Muitas das nossas frustrações como artistas aparecem porque não prestamos atenção aos nossos pensamentos. Aprenda a se observar e esteja com as portas abertas para que a inspiração chegue.

Deixo aqui indicações de livros que elucidam a nossa forma de pensar como artistas:
“O Poder do Agora”, de Eckhart Tolle. “Grande Magia”, de Elizabeth Gilbert. “Roube como um Artista” e “Show your Work”, de Austin Kleon.

E, por fim, busque ser, antes de qualquer coisa, uma pessoa boa e melhor a cada dia, alguém para se admirar. Olhe para os seus sentimentos e entre sempre de coração em tudo que fizer, principalmente ao olhar e retratar uma mulher.

Transmita empatia, se conecte!

www.crissantoro.com
Instagram: @cris.santoro

Publicado por: Cris Santoro Categoria: Inspire-se

Comentários

Deixe seu comentário