teste minha imagem
Google+

Blog 14.08.2017

Fotografia e inclusão: conheça a série "Paralímpicos"

O trabalho fotográfico com os atletas paralímpicos é um daqueles projetos que me foi concebido pelo destino, pois não tinha nenhum outro trabalho próximo a eles.

Conheci o pessoal do marketing do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) na São Paulo Fashion Week de 2015 e, em uma rápida conversa, eles gostaram do meu trabalho. No fim de semana seguinte ao evento, já estava fotografando uma competição a convite do Comitê e, desde então, acompanho diversas competições nacionais e internacionais com o CPB.

O projeto Paralímpicos

Além do trabalho que preciso fazer para o Comitê durante as competições de diversas modalidades, arrumo um tempo para o projeto Paralímpicos, um trabalho pessoal em preto e branco, no qual busco novos ângulos e tento mostrar não só a competição, mas também um detalhe que antecede uma prova, o aquecimento, algo que muitas vezes passa despercebido pelo público, mas que pode ser carregado de significados.

Faz 2 anos que acompanho esses atletas, o que me faz conhecer bem os locais das competições. Isso me permite determinar com maior precisão os equipamentos certos para fazer as fotos, pois as imagens do projeto sempre são feitas durante as competições. Da mesma forma que o atleta não pode errar, eu também não posso. Às vezes, um movimento para uma foto vai acontecer uma única vez. Por isso, não é bom perder o click. Se errar, não vou para o pódio.

Equipamentos

Para realizar meu trabalho, ao longo desses 2 anos, utilizei os seguintes corpos, muitas vezes juntos: Canon EOS 7D Mark II, Canon EOS 5D Mark III, Canon EOS-1D X e Canon EOS- 1D X Mark II.

A escolha da EOS 7D Mark II, EOS-1D X e EOS-1D X Mark II se deve à velocidade para clicar que é muito necessária em esportes, além da precisão de foco e robustez das EOS-1D X. Já a 5D Mark III, utilizo para alguma cena de bastidores, um detalhe ou retrato.

As lentes variam muito, pois há diversas possibilidades de fotos.

Para ângulos abertos, utilizei as lentes EF 15mm f/2.8 Fisheye, EF 8-15mm f/4L USM, EF 16-35mm f/2.8L USM e EF 17-40mm f/4 L USM.

Já para ângulos mais fechados, ocorridos principalmente no atletismo e na natação, utilizei a EF 100-400mm f/4.5-5.6L IS USM, a EF 400mm f/2.8L IS USM e a EF 200-400mm f/4-5.6L IS USM, que é a minha lente preferida, pois mesmo não tendo um diafragma tão aberto, conta com um teleconverter de 1.4x embutido que a torna muito versátil, podendo ser utilizada em diversas situações.

O que a fotografia e a inclusão podem trazer

Durante esses 2 anos fotografando e convivendo com os atletas paralímpicos, vi que cada competição é uma lição de vida para mim, pois eles não superam somente o cronômetro e o adversário, mas acima disso, esses atletas conseguem superar uma vida de preconceitos e dificuldades.

Já chorei e me arrepiei fotografando algumas provas e já abaixei a câmera em respeito a alguns momentos. Esse trabalho vai além do simples ato de fotografar, fiz grandes amigos, atletas, pessoas da comissão técnica, do marketing, de tudo relacionado a esses atletas e considero uma honra transitar entre eles e poder registrar esses momentos.

Publicado por: Alexandre Urch Categoria: Inspire-se

Comentários

Deixe seu comentário