teste minha imagem
Google+

Blog 02.10.2017

A relação entre maquiagem e iluminação na fotografia

O fotógrafo Fernando Mazza (@mazzacanteras) é conhecido por seus retratos que valorizam o poder da combinação de cores, o trabalho com a iluminação e a maquiagem como elemento de linguagem.


Foto: Fernando Mazza

No mundo das imagens, todos os elementos têm o poder de transmitir algo. Tudo depende de um bom equipamento e do olhar do fotógrafo.

O relato de Fernando pode ser uma inspiração para você que gosta de fotografia, moda e maquiagem. Confira!

O começo é importante.

Descobri a fotografia na faculdade de Rádio e TV. Essa foi a única disciplina do curso que realmente me chamou a atenção. Logo no primeiro ano da faculdade, me matriculei também na Escola Panamericana de Artes. Foi uma loucura, pois praticamente fiz duas faculdades ao mesmo tempo.

Nessa mesma época, comecei a fazer assistência para vários fotógrafos, como Felipe Lessa, Tony Genérico, Bob Wolfenson, Duran, sempre como freelancer. Foram dois anos de pancadaria na minha vida, mas hoje consigo perceber como isso foi importante para minha formação fotográfica.


Foto: Fernando Mazza

Boas referências fazem um bom fotógrafo. Elas são a comida do profissional.

Minhas referências são muitas e diversas. Aliás, não busco inspiração somente na fotografia. Para mim, vai além. Eu pinto, sou apaixonado por gastronomia, sou músico... Mas obviamente tenho minhas preferências entre os nomes da fotografia, como Helmut Newton, Avedon, Irving Penn, Steven Meisel, Steven Klein etc.

Porém, acredito que, acima de tudo, um bom fotógrafo não se preocupa somente com a técnica e a referência, mas também com o que se alimenta diariamente.


Foto: Fernando Mazza

Alimentamos nossa alma com tudo o que nos rodeia: família, gostos, hábitos, cheiros, estudos, relacionamentos, referências, erros, acertos, ou simplesmente com a decoração de um prato de comida, uma música, um filme, um livro, uma pintura.

O que inspira os retratos que têm muita cor, expressão e maquiagem.

É difícil falar disso, porque é algo muito pessoal. O "feeling" normalmente é automático e acontece na hora. Eu diria que em 99% dos casos em que planejei tecnicamente fazer uma foto artística, 1% desse plano deu certo. É muito mais transpiração que inspiração. Claro que tenho minhas preferências técnicas, mas elas são pequenas perto dos arquétipos que existem no meu subconsciente, e é isso que procuro transparecer nas minhas imagens. Acredito que a psicanálise e a arte têm uma ligação fortíssima.

A iluminação é a metade do caminho.

Eu descobri cores com dois fotógrafos que fiz assistência em Nova Iorque, Miles Aldridge e Greg Kadel, são profissionais que admiro muito. Certo dia, estava em uma campanha fazendo assistência para um deles e me deparei com o cara usando luz do dia com fresnel e lâmpada fluorescente juntas.


Foto: Fernando Mazza

Na época, estava com a cabeça da faculdade ainda, um pouco quadrada. Pensei comigo mesmo: “Esse cara está enganando o cliente, ele não pode usar três fontes de luz com três temperaturas de cores diferentes, esse cara é um mentiroso".

Quando vi a imagem feita, depois de retocada e impressa, pensei comigo: “Fernando, você não sabe nada, você é um imbecil (risos)”. Tudo era lindo, a diferença de luz na roupa, na pele, a diferença de tonalidade das cores em cada fonte. Era mágico. Foi aí, nesse exato momento, que descobri a cor na fotografia.
                    
A partir de então, comecei a estudar cor a fundo e talvez venham daí a intensidade das cores e o porquê de eu usar tanto elas.

A maquiagem é a outra metade do caminho.

Quanto à maquiagem, tenho minhas preferências por artistas que gostam de criar imagens, adeptos a trocas de energias em estúdio, sem briefing. O cara chega e cria, gosto do improviso. Não gosto de criar sobre layout, prefiro deixar a cabeça dar curto de tanto pensar.
                    
O papel da iluminação é passar minha linguagem fotográfica, meu estilo. Isso é o mais importante para mim.


Foto: Fernando Mazza

A relação entre maquiagem e iluminação é importantíssima. O fotógrafo de moda tem de saber de maquiagem, pelo menos o básico, porque, caso contrário, pode destruir o trabalho do maquiador e, consequentemente, o seu próprio. Não existe maquiagem ideal, tudo depende do que quero passar. Muitas vezes, a maquiagem é quase um nada e passa uma força enorme para a imagem.

Meus equipamentos preferidos.

Hoje, tenho uma Canon EOS 5D Mark III que nunca me decepcionou e entrega imagens fantásticas. Por ser Full Frame e ter muita nitidez, essa câmera é perfeita porque consegue entregar os mínimos detalhes tão importantes em um trabalho de maquiagem artística.

Também gosto muito das lentes EF50mm f/1.2L USM – porque preciso de bastante luminosidade –, EF 100mm f/2.8 macro L – já que preciso muito dos detalhes – e da EF 135mm f/2.8L USM – pois preciso de bons desfoques de fundo. Como se pode perceber, adoro as lentes Canon e as recomendo muito.

Publicado por: Fernando Mazza Categoria: Inspire-se

Comentários

Deixe seu comentário